terça-feira, 25 de abril de 2017

Sobre o passado e por que tinha que ser você

Às vezes o passado vem me visitar e nesses momentos é normal eu questionar: e se...

Eu tive o privilégio de me relacionar com pessoas incríveis (nem todas é verdade) que me ensinaram muito e contribuíram fortemente para que eu fosse quem sou hoje, mas nenhuma delas ficou, só você! E a despeito de alguma dúvida que possamos sentir, tinha que ser você, pois somente alguém pessoalmente tão resolvido e emocionalmente equilibrado como você poderia conter o turbilhão passional de emoções que sou eu.


Eu me apaixonei várias vezes, amei outras tantas... errei muitas mais, tentando acertar. Sempre namorei pra casar - três noivados provam isso - e foi só quando decidi ficar... sem compromisso é que ficou sério de verdade, vai entender! Algumas dessas pessoas se encaixavam muito mais naquilo que eu pensava ser o ideal, fosse na aparência, fosse na personalidade; mas personalidade não é caráter e isso você tem de sobra!


Aos poucos vou encontrando meu ponto de equilíbrio e pode ter certeza de que você tem tudo a ver com isso e por esta razão é que não podia ser outro,tinha que ser você!


 

Este texto é uma homenagem para o meu marido pois hoje (25/04/2017) completamos 6 anos de relacionamento; a contar da data em que saímos juntos pela primeira vez.

Te amo Juarez Ulguim Leal!





domingo, 23 de abril de 2017

Eu não quero ser 1 porquê

Olá minhas borboletinhas...

em primeiro lugar eu quero dizer que EU TÔ MAL!


De onde tirei a foto: http://www.srzd.com/colunas/253778/


Hoje eu terminei de assistir "13 reasons why" ignorando todos os alertas e SPOILERS que eu recebi.

Em segundo lugar não nego a importância dos temas abordados mas acredito que não é uma série pra todo mundo e certamente não era pra mim.

Terceiro: não raro eu fico sem saber se eu gostei ou não de um filme/série e em geral quando isso acontece é por que eu gostei muito e fiquei pensando - eu estou me sentindo assim agora

Eu tenho um pé atrás com tudo que faz muito sucesso pois eu costumo não gostar - fazer o que se eu sou "do contra" - mas eu sofro de curiosidade mórbida e o que me chamou atenção para essa série foi além do lance das fitas, a empatia que o tema suicídio causa em mim, pois como depressiva patológica seria hipocrisia eu dizer que isso nunca passou pela minha cabeça.

A série demorou a me fisgar de verdade, o que aconteceu somente no episódio 7; até então eu achava a Hanna muito segura de si e não conseguia "comprar" o dilema, mas nesse ponto eu passei a me preocupar com o Cley que começava a demonstrar sintomas de esquizofrenia e a partir daí o assunto foi ficando cada vez mais sério.

Eu não sou psicologa mas eu queria colocar aqui a minha visão sobre suicídio: na minha opinião quem TENTA se matar na verdade está dando um último grito de SOCORRO, o que não parece ser o caso na série pois ela não tentou e sim foi lá e fez! Outra situação, e foi o que me fez pensar em dar fim a minha vida é QUERER QUE O SOFRIMENTO SIMPLESMENTE ACABE e acho que este se aproxima mais do caso da Hanna. De qualquer forma acho pertinente a questão levantada por "13 reasons why"  de que nossas ações causam impacto nas pessoas e devemos tomar cuidado para não nos tornarmos um porquê.

Para quem não sabe, eu trabalho setor administrativo do Cemitério Municipal da minha cidade e na última semana realizamos o sepultamento de um senhor que se enforcou e a filha se perguntava justamente "por quê?" ao que eu lhe respondi que "não nos cabe julgar, pois não sabemos pelo que as pessoas estão passando internamente".

Outra coisa que acredito ser importante mencionar é a questão VINGANÇA que na minha opinião, que já disse outras vezes não vale de muita coisa, NUNCA é uma opção, pois gera um ciclo vicioso.

Enfim,
por hora, é isso.

Mais do que nunca, fiquem com Deus e até mais...